segunda-feira, 28 de março de 2011

RECONSTRUÇÃO DOS MUROS E PORTAS DE JERUSALÉM

Neemias 2: 3

“Como não estaria triste o meu rosto estando a cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada e tendo consumidas as suas portas a fogo?” “Peço-te que me envies”.

Neemias 3
v. 1 – Porta do Gado – A cruz como ponto de partida
v. 3-5 – Porta do Peixe – Serviço (vida eterna)
v. 6-12 – Porta Velha – Jesus como Senhor Eterno
v. 13 – Porta do Vale – Humildade
v. 14 – Porta do Monturo – Limpeza, santificação
v. 15-25 – Porta da Fonte – Pentecostes, Plenitude do Espírito Santo
v. 26-27 – Porta da Água – Palavra de Deus
v. 28 – Porta do Cavalo – Guerra e Vitória
v. 29 – Porta Oriental – Vinda do Senhor
v. 32 – Porta do Ouro – Julgamento de Cristo

Quando o povo de deus foi levado preso para Babilônia, pelo rei Nabucodonosor, por causa dos seus pecados, a profecia dada através do profeta Jeremias determinou o tempo de castigo de 70 anos. Daniel, o jovem servo de Deus, serviu ao Senhor com inteira fidelidade e alcançou posição elevada no meio daquele povo. Outros servos permaneceram fiéis todo o tempo do exílio e quando os 70 anos acabaram-se, Daniel já era idoso e orou para que o povo voltasse para sua terra.

Esdras era temente a Deus, era sacerdote e logo voltou levando uma boa parte de gente, e o rei Ciro o ajudou, fazendo cumprir a ordem de Deus. Esdras, no capítulo 1 do seu livro, fala muito claro sobre isto e o capítulo 2 menciona os nomes de todos que voltaram com Zorobabel e logo que se estabeleceram, levantaram o altar para adorarem a Deus. O templo foi construído e a alegria do povo foi intensa.
No capítulo 4, o inimigo se levantou furioso, mas os profetas exortaram o povo a obedecer à voz do Senhor. É assim que caminha a Obra do Senhor. Pois bem, é nesta circunstância que aparece o nosso estudo, objetivando lembrar-nos que todo serviço de Deus tem um fim proveitoso: nossa edificação espiritual, nosso crescimento.

Neemias servia ao rei como copeiro no palácio, mas seu coração estava não no palácio, mas na Obra de Deus.

Capítulo 1 – ele descobre que o trabalho do templo estava bem, mas os muros e as portas de Jerusalém estavam queimadas a fogo. Que casa está segura com os muros caídos e as portas queimadas? Foi então que ele se entristeceu de tal modo, que o rei que nunca o havia visto triste, perguntou-lhe qual a razão da sua tristeza? e sua resposta foi: “Porque os muros estão destruídos, as portas queimadas e os sepulcros dos meus pais assolados. Com a permissão do rei, Neemias é liberado para o trabalho duro de reconstruir os muros e as portas. este trabalho é tipo da Obra de Deus, que se faz no presente momento. Temos uma Obra a fazer e para que o servo viva as 10 portas em sua vida, ele enfrenta lutas com inimigos que se levantam dentro de si para impedir a sua vitória espiritual. Inicia-se a Obra.

Os muros são para proteção, eles separam o que era da cidade do lado de fora, donde vinha o perigo: os ataques do inimigo. É necessário o sentimento de realidade na vida do povo, da cidade, das pessoas e esta realidade é entendida por segurança e paz.

Deus tem prometido por um muro de fogo ao redor do seu povo para protegê-lo. O Espírito Santo em nós é o fogo que protege e destrói o poder do mal. Se assim não for, nãos nos enganemos, porque não estamos no Espírito. Muros ao redor significam mais que proteção, significam aconchego e comunhão.
Na reconstrução vemos os agrupamentos de servos em lugares diferentes, porém todos trabalhando, todos querendo o mesmo. Um era responsável e toda equipe obedecia, pois era orientação do Senhor.

Primeiro – A porta das ovelhas ou do gado. Eliasibe era o responsável, seu nome significa: Deus restaura.
Era a pessoa certa, era sacerdote e entendia de rebanho. É uma lembrança do Senhor Jesus e de todo o seu trabalho que é visto nesta grande Obra.
Jesus, o pastor quer busca as ovelhas.

1ª Porta – A PORTA DAS OVELHAS

Jesus, o Pastor. Indica a cruz como primeiro ponto de partida. A convocação para o trabalho se faz necessário, todos tem que vir a trabalhar. I Co 3: 8 – Mostra que ao fim da obra há um galardão e é individual. Jo 10: 1-10 – O Senhor Jesus, portanto, é o Pastor, está cuidando das ovelhas, para que o curral esteja protegido contra tudo que vem assustá-las e destruí-las. O ladrão vem para roubar (a fé, o entusiasmo na obra, a comunhão); matar (a vida espiritual oferecendo o veneno do mundo); destruir (lançar no inferno).
Jesus, o Bom Pastor, está tomando conta do seu rebanho: através do Espírito Santo, orientando para que nossos muros e portões estejam reparados e fechados contra o mal. Eu sou a porta
Esta parte do muro ia até a torre de MEAH, que significa dos 100, como Jesus mencionou na parábola do aprisco que tinha 100 ovelhas. Uma se perdeu, Ele foi buscá-la. Aquela ovelha perdida era eu.
O limite onde aquele grupo trabalhava até a Torre de HANANEEL, que significa aquele a quem Deus é gracioso. Se sou salvo, o limite veio a mim. Se você é salvo, veio a você. Se somos salvos, somos o aprisco do Senhor.

2ª Porta – A PORTA DO PEIXE

Mc 1: 17 – “Vinde após mim e eu vos farei pescadores de homens”.

A Porta do Peixe era onde havia um mercado de peixes, e os pescadores os traziam para ali os venderem. A cidade precisava do peixe, era alimento e a porta precisava ser reparada. Estabelece-se a realidade de que depois de salvos, agregados ao aprisco do Senhor, temos que cuidar de salvar almas. Assim o Senhor fez, salvou seus servos e chamou-os para serem pescadores de homens. Edificaram os filhos de Sena, que significa erguer, levantar. Uma obra sem salvação é caída, não presta. Os que colocaram fechaduras e ferrolhos foram: Meremote (forte), Mesulão (reparador) e Zadoque – Sadik (justo).
No verso 5, há uma observação: os tecoitas trabalharam, porém os seus nobres não meteram o seu pescoço a serviço do Senhor. Deus vê tudo, e tudo será galardoado. Quem são os nobres, neste caso? Aqueles que são nascidos em lares de servos, conhecem a Palavra desde cedo, pertencem à Igreja, mas não querem pescar os peixes, não se interessam pela evangelização tão bem vista nesta porta. outros vêm do mundo e logo se entrosam no trabalho do Senhor. Deus está vendo tudo e no dia certo, tais vidas serão reprovadas na sua presença.

3ª Porta – A PORTA VELHA

Ne 3: 6- 12 – Aquilo que é Eterno. Hb 13: 8 – Jesus é o mesmo ontem, hoje e para sempre.
Jr 31: 38 – Fala da porta de esquina, a mesma porta velha. Quando José perguntou se o velho pai ainda vivia, ele queria saber do relacionamento deles com o Pai. Jesus é esta Porta Velha, porque Ele é eterno. assim é visto com seus cabelos brancos no Apocalipse. Nesta Eternidade, nesta porta tudo foi acertado entre o Pai e o Filho, para nossa salvação. Ct 4:6 – Tomaram parte neste trabalho: Joiada, cujo significado é: O Senhor Conhece. Não foi sem propósito a escolha de alguém com este nome. O Senhor conhece tudo porque Ele é eterno. Gibeonitas (admitidos por falha de Josué, mas aproveitaram a graça imerecida, tipos do pecador, nós que somos admitidos na eternidade por Jesus). Filhas de Salum – Mulheres no campo pesado de trabalho. Salum não tinha filhos, só filhas e Deus as aceitou na obra. Outros trabalharam na reconstrução desta porta.

4ª Porta – PORTA DO VALE (Humildade)

Ne 3: 13 – Filipenses 2: 6-8 – Esta porta do Vale, da humildade, fala do lugar que o Senhor Jesus tomou pelos pecadores. Ele humilhou-se até a morte e morte de cruz, tornando-se maldição por nós. Esta porta tem que ser restaurada na vida do servo de Deus ou ele não tem lugar na Obra. A Obra de Deus não tem lugar para orgulhosos, mas para os obedientes, os que se humilham perante Deus.

Hanun – Gracioso – foi o responsável. Portas com fechaduras e ferrolhos colocados. É necessário muita vigilância, o inimigo quer sempre colocar arrogância, presunção nos que trabalham, é preciso ter bem fechado este portão. Um servo orgulhoso é a presa mais fácil para o inimigo derrubar. A Porta do Vale, da humildade tem que ser restaurada. O orgulho não reconhece autoridade, ser gracioso para com Deus é ser humilde. Ao humilde Ele, o Senhor exalta, mas o orgulhoso Ele abate.

5ª Porta – PORTA DO MONTURO          

Era a porta usada para levar o lixo para fora da cidade. Jesus reparou esta porta em nós levando nosso lixo, nosso pecado fora da cidade, fora de Jerusalém no calvário. Tudo que é sujo em nossa vida, tudo que contamina, tem que ser escoado, tirado completamente e diariamente, porque lixo não pode acumular.
I Jo 1: 7 – "O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado".

Malaquias filho de Recabe foi o reparador. Ele pertencia à família dos recabitas que o Senhor usou para mostrar obediência  e servir de exemplo ao povo de Jerusalém. Era o maioral da cidade. Se esta porta em nossa vida não for restaurada Deus não pode operar.
I Pe 1: 15-17: 4: 3-5.

6ª Porta – PORTA DA FONTE            

João 4: 6-15 – A Porta da Fonte é tipificada na Água Viva. Água oferecida por Jesus à mulher samaritana. Só depois de sair o lixo da nossa vida, é que a Porta da Fonte vai poder  produzir a Água Viva. É tipo, portanto, do Espírito santo. Foi reparada por Salum, que significa "Paz". A mulher samaritana tinha uma vida que era um monturo, mas Jesus a purificou. Ela aceitou e Ele ofereceu água viva da qual esta porta é tipo.
Vejamos, pois, alguns significados:  Salum – Paz /  Colhoze – O santo Vidente / Mispah – Vigia.
Os homens acima mencionados eram os construtores desta porta. Isto nos mostra que: Paz (Salum) haverá através do servo que, em santidade (Colhoze) vive a Profecia e vigia (Mispah), assim é que Deus edifica sua Obra. É a porta mais vigiada em termos de reparação, muito trabalho, muita gente, muita vigilância.

7ª Porta – PORTA DAS ÁGUAS

É ligada à Porta da Fonte, porque o Senhor Jesus, tanto é a Fonte, a origem, o nascedouro da Água, como a própria água. Jo 3: 5; 7: 35; 5: 26.
Ofel é a palavra em destaque, significa Lugar Alto, arredondado, indicando altura como limite desta porta. Jesus é do alto, do alto veio e do alto vem a água oferecida. Jo 7: 33 – voltarei para aquele que me enviou (veio do Pai). A Palavra não dá nome de homem algum a reparar esta porta. Diz que os Netinis (que eram servidores do templo) habitavam em Ofel e os tecoítas reparavam. Dois grupos sem nome específico, mostrando ser uma obra ligada diretamente ao Espírito Santo prometido pelo Senhor, para batizar seus servos – Pentecostes. Após derramar o Espírito Santo, a Palavra é revelada e edifica aqueles que estão perto  e se curvam a ela. O homem não edifica a Obra de Deus, e sim o Espírito Santo. Ofel é o limite registrado no começo e no fim, vem do alto. A Palavra dispensa o homem.

8ª Porta – PORTA DOS CAVALOS

Ne 3: 8 – Jer 31: 40 – Ef 6: 10-18
É por onde entravam a cavalo os homens que iam à guerra. Voltar derrotado era triste, mas voltar com a vitória era alegria. Dá portanto a entender Guerra e Vitória. Na guerra contra as trevas o povo de Deus está envolvido e tem que passar por esta porta. Porta caída indica derrota, Porta erguida, mostra a vitória dos valorosos. Cant 3: 8 – "Todos armados de espadas, destros para a guerra, cada um com sua espada na cinta por causa dos temores noturnos". A porta da Vitória tem que estar restaurada. Os Sacerdotes a repararam. Hoje somos sacerdotes de Deus e a nós, cada um, cabe manter esta porta da Vitória em sua própria vida. A Obra de Deus não comporta servo derrotado. Vivemos de Vitória em Vitória.

9ª Porta – PORTA ORIENTAL

Luc 2: 79 – "Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, com que do Oriente do alto nos visitou".
Ez 44: 1-2 – "Então levou-me à porta, a porta que olha para o caminho do oriente e eis que a glória do Deus de Israel vinha do caminho do Oriente e a sua voz era como a voz de muitas águas". De Ezequiel sabemos que a Shequina – a glória – deixou a porta Oriental para depois brilhar no milênio, quando o Senhor Jesus estará novamente reinando neste mundo. No templo que será em Jerusalém, o Senhor se sentará no Trono de Davi e reinará para todo sempre. A Porta Oriental olha para o Sol nascente, portanto é do Senhor Jesus que ela trata. Ele voltará e, por isso, a igreja se identifica mais e mais com Ele e se prepara para a segunda vinda. Se esta porta não for restaurada, não há como passar por ela. Seconias era o guarda desta porta, seu nome significa Habitação do Senhor. Quando o Senhor vier, governará com vara de ferro: O juízo será estabelecedo.

10ª Porta – PORTA DE MIFCADE

Era também conhecida como A Porta do Ouro. Malaquias significa Jeová é Rei, foi o responsável pela reparação desta porta; ele era filho do ourives. Era o lugar onde os juízes sentavam, discutiam e julgavam os problemas. Fala do julgamento do tribunal de Cristo. I Co 3 – Sl 122: 7
Interessante é notar em Neemias 3: 22 - último verso – a ligação entre esta última porta e a primeira, a das ovelhas ou do gado. O início de uma caminhada, quando primeiro somos redimidos, salvos, no aprisco do Senhor e continuaremos na caminhada até chegarmos ao Tribunal de Cristo, quando receberemos dele os galardões pelo trabalho feito.

Resumindo, em tudo vemos a caminhada percorrida. O muro circunda, protege as portas, com seus ferrolhos fecha tudo, não permitindo a entrada do adversário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário