quarta-feira, 21 de setembro de 2011

A Vara de Arão


 
                "...Sucedeu pois que no dia seguinte Moisés entrou na tenda do testemunho, e eis que  a Vara de Arão, pela Casa de Levi, florescia; porque produzira flores e brotara renovos e dera amendoas..."

                                                                              Num. 17:1-10

         A Vara de Arão era a revelação do  poder invisível de Deus. Ele não tinha uma vara para provar isto; Ele tinha o poder.
            Para cessar a praga no meio  do povo, não tinha a vara; tinha o incensário.
            Quando o povo se rebelou contra o sacerdócio de Arão e contra Moisés, Deus considerou que era contra DEUS.
            Cada princípe trouxe uma vara com o nome da tribo, inclusive Arão na Vara de Levi. Arão não fez nada para impor o seu sacerdócio, sua autoridade. Não agrediu o povo, antes orou por eles - como Jesus haveria de fazer. Esperou em Deus.
            No dia seguinte só a vara de Arão dera renovos, flores e frutos. Era Deus revelando o invisível, o sacerdócio, a autoridade de Arão. A Vara não ficou com Arão, ficou perante o Senhor, na Arca.
            Quando o Templo foi construido, não havia mais a vara pois não havia contestação do sacerdócio levitico/aronico.
            Sem a unção o homem é só vara seca. No poder do  Espírito Santo o homem exerce seu sacerdócio.

            Renovo = Vida
            Flores = Dons.   Frutos do Espírito

            Mas com humildade sabendo que sem o Espírito ele é vara seca. Só é sacerdote se permanecer na presença de Deus. Assim é a unção, quer individual, quer coletiva atravéz da Igreja Corpo de Cristo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário